Pesquisa


Projetos de Pesquisa

 

 

 

Cinema e Velhice: a Imaginação Atravessando a Memória

 

Este projeto se propõe a diversificar e ampliar para e com o público idoso as atividades extensionistas do programa “Cinema para Aprender e Desaprender” da Faculdade de Educação da Universidade Federal do Rio de Janeiro (CINEAD FE/UFRJ), ligado à pesquisa do Programa de Pós-Graduação em Educação da UFRJ que, desde novembro de 2006, investiga a interface entre o cinema e a educação. O objetivo agora é realizar experiências de (ver, falar sobre e fazer) cinema com o público idoso. O que os idosos gostariam de prender? De enquadrar? O que veem? E como essas memórias podem ser compartilhadas? Ao aprender cinema, no gesto de invenção, os idosos podem compor e partilhar memórias e olhares sobre diferentes modos de viver e envelhecer no mundo atual, ocupando, assim, um lugar de ação, criação e cidadania.

Financiamento

Edital FAPERJ Nº 06/2013 - Apoio ao estudo de temas relacionados à saúde e cidadania de pessoas idosas – 2013 (Pró-Idoso – 2013).

 

Metodologia de Pesquisa

No marco da pesquisa, dará fundamento a leitura das atividades extensionistas uma revisão da literatura e alguns levantamentos específicos: 1) revisão e adaptação das práticas e experiências de atividades cinematográficas realizadas com a escola de cinema do CAP-UFRJ desde 2008, com as mulheres da Maré no ano passado, e nas enfermarias pediátricas há dois anos 2) outras iniciativas que realizam projetos sócio-educativos e de cinema e/ou arte com idosos no Estado do Rio de Janeiro; 3) como os estudos de Gerontologia, por um lado, e como o cinema de ficção e documentário, por outro, abordam o envelhecer; 4) bibliografia e produção contemporânea de esquisadores e/ou cineastas que investiguem o envelhecimento e/ou cinema (Bergman, Debert, Kalache, Peixoto, entre outros) 5) como se tem pensado mecanismos consultivos que favoreçam a participação dos idosos formulação de políticas e planejamentos públicos. A metodologia para aprendizagem e realização de atividades cinematográficas é a pedagogia Centrada na Criação, de Alain Bengala (2008). A metodologia que propiciamos se enquadra no marco da pesquisa qualitativa em educação, ainda que incorporando elementos vindos de outras áreas, como da psicologia, da saúde e do urbanismo, e prevê a utilização de diversas estratégias específicas de coleta de dados, análise e avaliação dos resultados para sua imediata socialização desta experiência de pesquisa-extensão, que não perde seu compromisso com a docência e o ensino, tríade intrínseca e necessária de todo projeto universitário.

 

Resultados ou Produtos da Pesquisa

Esperamos com o cumprimento dos objetivos propostos promover um posicionamento subjetivo dos idosos participantes no sentido de desenvolver sensibilidades e possibilidades de implicações com sua vivência presente, favorecendo atitudes protagonistas em sua própria vida. E esperamos mais: que tais ganhos pessoais repercutam em outros espaços, gerando efeitos à perder de vista em termos comunitários e políticos. A esse respeito, esperamos colaborar com a inovação no importante quadro de estratégias consultivas, que tendem a evitar suposições e generalizações indevidas sobre seu público-alvo. Isto, na medida em que entrarão em jogo olhares dos idosos acerca do lugar onde vivem e moram, suas memórias, opiniões e afecções, positivas e negativas acerca de seu meio, bem como suas proposições a respeito.

 

Parcerias

Centro de Referencia de Mulheres da Maré (CRMM/UFRJ); Centro de Estudos e Pesquisas do Envelhecimento – CEPE; Casas de Convivênci para Idosos – Prefeitura do Rio de Janeiro

http://www.nepp-dh.ufrj.br/crmm/projetos.html 

 

Equipe

 

Adriana Mabel Fresquet (Coordenação geral)

Fernanda Omelczuk (Psicóloga - Doutoranda FE/UFRJ)

Gabriel Gouvêa Monteiro (Psicólogo - Mestrando IP/UFRJ)

Adriana Seso (Assistente Social)

Ana Lucia Souto Mayor (Doutora em Literatura e Cinema/Prof. Literatura CapUFRJ-CINEAD)

Gisela Pascale (Mestre em Educação/FE- CINEAD)

Alexandre Mendonça (Professor Adjunto Filosofia - FE/UFRJ)

Verônica Soares (prof. de Artes Visuais Escola Joaquin Venâncio/ FioCruz)

Maria Clara Vasconcelos (estagiária do projeto)

Maria Augusta Bittencourt (Mestre em Arte e Educação)

 

 

 

 

Currículo e linguagem cinematográfica na educação básica

 

O projeto tem por objetivo pesquisar experiências de introdução ao cinema com professores e estudantes de Educação Básica, dentro e fora da escola. Os principais fundamentos desta proposta articulam autores dos estudos de cinema – em particular da pedagogia do cinema – com autores do campo de saberes e práticas da educação – em particular da psicologia e da filosofia da educação. Os debates dos seminários de leitura estão articulados com a empiria desenvolvida nos projetos de extensão do CINEAD, que promove atividades em escolas de Educação Básica, na Cinemateca do MAM, no IPPMG, e no Centro de Referência das Mulheres da Maré. Entre as atividades de produção intelectual encontramos publicações, participação em eventos, produção de materiais didáticos impressos e audiovisuais, consultorias, cursos de curta duração, organização de eventos, curadorias, produtos e programas culturais. As categorias que emergem dos projetos que tecem o grupo de pesquisa são: aprender/desaprender, alteridade, processos criativos, escolha/disposição/ataque, ponto de vista, ponto de escuta, silêncio, gestos de emancipação, ocultar/revelar, crer/duvidar, acompanhar correndo os mesmos riscos, rotinas de espaço/tempo escolares, entre outras.

Financiamento

MCT/SEBRAE/FINEP/Ação Transversal – Cooperação ICT – MPE – Economia da Cultura – Edital 02/2007 (O resultado desse edital foi em 2009 e a verba liberada em 2011 pela Universidade.). / Auxílio financeiro FAPERJ – Edital 05/2010 – EXT/PESQ. Bolsas CAPES (Mestrado) 1 / CNPq 2 PIBIC-EM /PR2 1 PIBIC

Metodologia de Pesquisa

Abordagem qualitativa: Metodologia que atende a característica dos objetos/processos e relações pesquisadas. Convite para os “sujeitos” pesquisados se tornarem co-pesquisadores do processo. Métodos comuns: observação, cadernos de campo, fotografia e registro filmado. Método diferenciado: Análise micro-genêtica dos diálogos visando a emergência do novo na interação dos atores da pesquisa em situações de aprendizagem. Instrumentos: questionários, entrevistas e frases incompletas.

Resultados ou Produtos da Pesquisa

Quantificáveis:

7 doutorados em andamento;
6 mestrados concluidos 
12 especializaçoes em Mídia e Educação defendidas (NUTES/UFRJ); 
5 monografias de conclusão de curso concluídas, 2 em andamento 
6 bolsistas PIbics, 1 em andamento 
58 bolsistas de iniciação artística e cultural, extensão e monitoria; 8 em andamento 
4 bolsistas PIBICs EM e um voluntário concluídas. 
Produção intelectual: 8 artigos publicados em periódicos; 2 livros publicado; 5 organizações de livros; 17 capítulos de livros 
Produção técnica: 26 eventos organizados sendo 6 encontros internacionais de cinema e educação e 5 mostras da Faculdade de Educação no MAM-Rio, incluindo 5 Mostras mirins de minutos Lumière. 
Desde 2006, o projeto tem recebido financiamento de 8 editais (UFRJ/BB; FAPERJ; SEBRAE/FINEP/MC&T). Coordenação da coleção Cinema e Educação (Editora Booklink/CINEAD/LISE/UFRJ) Coordenação de uma nova coleção na editora Autêntica: Alteridade e Criação (2013)

Outros resultados dificilmente quantificáveis ou pronunciáveis:

Na relação propiciada da experiência do cinema com estudantes e professores de Educação Básica dentro e fora da escola, percebemos que: O cinema consegue intensificar a vontade de conhecer, de descobrir e de inventar o mundo e a si mesmo. nas ações se restaura algo do “mistério” de aprender. O cinema na escola resgata a vontade de estar nesse lugar, de aprender e de trabalhar coletivamente. Reconfigura as rotinas de espaço/tempo escolar. O cinema tensiona a possibilidade de realizar um trabalho profundamente individual e encoraja gestos de cooperação no fazer coletivo, nos diferentes espaços e grupos. O cinema nos leva ao limite entre o real e o imaginário, na tensão do crer e o duvidar daquilo que vemos e aprendemos, no processo de produção de conhecimentos. O cinema desconstrói a verticalidade da relação professor-aluno e adensa sua intensidade pela partilha de gostos, significados e sentidos. Horizontaliza e humaniza a ignorância como condição comum para um aprendizagem permanente, membrana entre o desejo e o conhecimento de adultos e pequenos.

Parcerias

Museu de Arte Moderna (MAM-Rio); Rede KINO: Rede Latino-Americana de Educação, Cinema e Audiovisual; Projeto de pesquisa de cinema da UESB; Projeto de pesquisa de Aprendizagem na educação superior (Ciências da Educação, Filosofia e Letras, Universidad Nacional de Cuyo, Argentina); Laboratório Kumã (IACS/UFF); Instituto de Pediatria e Puericultura Martagão Gesteira (IPPMG/UFRJ); Instituto Benjamin Constant (IBC); Instituto Nacional de Educação de Surdos (INES); Grupos de pesquisa Imagem, Texto e Educação Contemporânea – ITEC/FE/UFRJ; Centro de Estudo e Pesquisa do Envelhecimento (CEPE/RJ)

LECAV

Laboratório de Educação, Cinema e Audiovisual

Criado em 2010, articula as atividades de pesquisa, ensino e extensão. Socializa com a comunidade acadêmica o acervo de filmes e contribui, sempre que possível, com os eventos da Faculdade de Educação.

  • Cinema
  • Arte
  • Seminários
  • UFRJ
  • Encontros
  • Extensão
  • Pesquisa
  • Educação
  • Pós Graduação

Contato

lecav.ufrj@gmail.com

(21) 2295-3246
facebook
Maxisite